Nesta sexta-feira (16.08) o prefeito voltou a conferir o andamento das obras do Hospital Alcides Carneiro. Na ocasião foi avaliado o andamento do projeto de construção do centro obstétrico e de ampliação da maternidade. Uma nova proposta está sendo estudada, o que inclui a criação de mais leitos pediátricos, sendo 10 de UTI e outros 12 de enfermaria na pediatria. A criação do Banco de Leite já foi aprovada e passa a fazer parte do projeto. A mudança adequa o projeto à demanda no setor do hospital que hoje funciona com 29 leitos de pediatria e 3 UTIs para crianças. Arquitetos e diretores da unidade discutiram as propostas com os gestores da Faculdade de Medicina de Petrópolis/Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/FASE), responsáveis por parte dos investimentos na unidade de saúde.

O prefeito busca com a equipe técnica alternativas para avançar com as obras sem impactar no funcionamento da unidade hospitalar.

O projeto inclui ainda a ampliação de mais 20 leitos na maternidade e criação de quatro salas de parto (pré-parto, parto e pós-parto). Todo o projeto vai dar maior suporte ao hospital que atualmente funciona ainda com 54 leitos na maternidade e 20 de neonatal (sendo 10 em processo de habilitação). “Estamos buscando adequações que valorizam o projeto. As alterações vão sanar as necessidades do hospital”, destacou o diretor geral do HAC, Cláudio Morgado, que destaca a criação do Banco de Leite, que já está aprovado e passou a fazer parte do projeto. “Com a retomada do Banco de Leite a unidade vai poder ser credenciada como Hospital Amigo da Criança”, conta.

Todo o projeto está sendo feito com o investimento de R$ total de R$ 20,8 milhões feitos para o HAC, inclui os R$ 13 milhões que a Faculdade de Medicina está destinando como pagamento pelo uso do espaço como hospital-escola e mais R$ 7,8 milhões que a Prefeitura vai empregar para a compra de material como equipamentos de anestesia, incubadoras, monitores de leitos de UTI, mesas cirúrgicas e desfibriladores entre outros equipamentos destinados à UTI e demais áreas de atendimento da unidade. Os recursos serão contratados junto à Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro – AgeRio, em uma operação de crédito.

Prefeito fez visita pelo hospital e conferiu funcionamento da unidade

Aproveitando a visita às instalações onde estão sendo feitas as obras e conversou com as pacientes. O aposentado Renê Tílio, de 70 anos, acompanhava sua esposa em tratamento e elogiou a estrutura. “Ela foi muito bem atendida aqui, minha mulher está fazendo tratamento de câncer, toda equipe é muito boa”, disse Renê.  

A paciente Elaine Cristiane Soares, de 35 anos, teve sua segunda filha Horrana, nesta quinta-feira (15.08). “Tive todo o suporte que precisava. O hospital é muito bom”, conta. A paciente Caroline de Souza de Carvalho, de 19 anos, teve seu primeiro filho, Maicon. “Deu tudo certo, fui muito bem atendida”, conta. Alessandra da Silva Ribeiro Souza, de 28 anos, espera receber alta neste sábado, com sua filha Valentina. “Gostei muito do atendimento, o hospital é muito bom”, disse.

O esforço da Prefeitura para equilibrar as contas e melhorar a situação econômico-financeira do município com R$ 155,7 milhões em dívidas quitadas em dois anos e meio, manutenção de salários em dia e conclusão de obras que foram paralisadas no governo passado terá peso fundamental para a cidade obter uma linha de crédito junto à Caixa Econômica para financiamento de obras e aquisição de equipamentos. O município busca junto ao banco R$ 100 milhões dentro do programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) para investimentos em saúde, educação, assistência social, pavimentação, mobilidade urbana e reforma de prédios públicos.

O Finisa permite investimentos em uma série de obras, compra de equipamentos, aquisição de imóveis e serviços com financiamento direto ao município, e não apenas a uma determinada ação – como acontece, por exemplo, com emendas. O município passará por uma classificação de riscos, em que os dados econômicos serão avaliados pelo banco, como explicaram representantes do banco público em reunião com o prefeito e diversos secretários municipais na última quinta-feira (15.08). O município vai enviar para a Câmara de Vereadores um projeto de lei para autorizar a contratação do financiamento.

Outro fator que terá peso importante a favor do município é a gestão de projetos e convênios firmados com participação da Caixa, como no caso de emendas. Várias obras que contam com investimento da União que estavam paralisadas foram retomadas pelo prefeito e foram entregues, caso do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE) do Caxambu, a reforma das quadras do Morin e de Pedras Brancas, a construção das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Araras e da Posse.

Outras estão em andamento, como a construção da UBS do Caxambu e do Centro de Educação Infantil (CEI) do Boa Vista, a reforma da quadra da Posse. Também há obras que estão em fase de licitação ou próximas do início das intervenções, como a contenção da Rua 1º de Maio, a licitação de vias do Centro, reforma de cinco quadras esportivas, do Palácio de Cristal, do Theatro D. Pedro, da Casa Santos Dumont, entre outros.

Todos os contratos somam R$ 105 milhões que são investidos em Petrópolis pelo governo federal via Caixa. Esse trabalho feito pela prefeitura para dar andamento nos convênios foi destacado pelos representantes da Caixa.

“Com a equipe da prefeitura trabalhando junta e respondendo os pedidos da Caixa, os processos caminham. Isso é bom e nos dá ânimo de estar junto com a prefeitura nessa parceria porque vemos o nosso trabalho acontecendo. E para a cidade também, com certeza é muito bom. Sabemos que não apenas o prefeito, mas toda equipe, está trabalhando muito e o resultado está acontecendo”, destacou a superintendente regional Centro Leste Fluminense da Caixa, Marcele Almeida.

Entre os projetos que a prefeitura quer financiar através do Finisa estão obras no Hospital Alcides Carneiro, Hospital Municipal Nelson de Sá Earp, Centro de Saúde e de unidades básicas de saúde; pavimentação de diversas ruas; acessibilidade e modernização do Palácio Sérgio Fadel; reforma dos CIEPs Santos Dumont e Guerra Peixe, CEI Primeira Infância, aquisição de imóveis onde funcionam escolas municipais (espaços que hoje são alugados); ampliação dos Centro de Referência em Assistência Social de Madame Machado e Quitandinha, aquisição de veículos para atender os programas desenvolvidos pela Secretaria de Assistência Social; modernização e compra de equipamentos para os terminais de Itaipava, Corrêas e Centro, sinalização viária, instalação de semáforos e modernização de abrigos de ônibus.

As obras para a implantação do serviço de urgência e emergência de Itaipava (unidade que terá atendimento semelhante ao das UPAs) seguem avançando. A estimativa é que que o novo prédio seja entregue até o final do ano e o prefeito foi verificar o andamento dos trabalhos nesta sexta-feira (16.08). O empreendimento vai beneficiar 90 mil pessoas, com atendimento médico 24 horas, para os moradores do 3º ao 5º distrito.

 A unidade de emergência vai desafogar a demanda da UPAs do Centro, Cascatinha e do Hospital Alcides Carneiro.

O serviço contará com uma sala amarela e vermelha, sala infantil, além de uma sala de medicação, nebulização e uma central de material esterilizado (CME). Atuarão no local 21 médicos clínicos, 14 pediatras, 36 técnicos de enfermagem, 14 enfermeiros, 4 farmacêuticos, 2 assistentes sociais, além de direção médica, coordenação de enfermagem, profissionais de radiologia e administrativo.

O prédio é bem localizado, em área central de Itaipava, próximo ao terminal rodoviário, o que garante facilidade no acesso da população.

A elaboração do projeto exigiu a definição de imóvel adequado às exigências do serviço a ser oferecido. O projeto conta com as aprovações exigidas pela Vigilância Sanitária. A definição do imóvel garantiu ainda a parceria público-privada com o Grupo Petrópolis, que já garantiu R$ 1,5 milhão para a equipagem da unidade.

Com o objetivo de manter a liderança entre as cidades da Região Serrana no ranking de transparência da Controladoria Geral da União (CGU) e melhorar o posicionamento de Petrópolis entre os 92 municípios do Estado – a cidade ocupa a 6ª posição – a gestão do prefeito Bernardo Rossi segue investindo para em ações para fortalecer a transparência nas contas públicas. A Controladoria Geral do Município realizou o treinamento e atualização permanente dos seus servidores e, nesta semana, equipes das unidades de controle interno participaram de um treinamento sobre gestão de risco.

Duas novas leis foram sancionadas para reforçar a transparência e o combate à corrupção, ampliando os poderes da Controladoria do município.

O treinamento dos servidores em gestão de risco é um passo importante uma vez que Petrópolis está entre os municípios da Região Metropolitana – primeira rede de municípios onde o sistema está sendo implementado. O treinamento dos servidores é mais uma ação de fortalecimento da Controladoria. A atualização é fundamental para que a nossa equipe esteja afinada com as diretrizes do TCE e do Ministério Público. Parte dos municípios da Região Metropolitana – que será a primeira rede de municípios a ter o novo sistema -  Petrópolis precisa estar afinada com a questão da Gestão de Risco, que está sendo implementada pelo TCE e pelo Ministério Público.

Mais três empresas confirmaram presença na segunda edição do Feirão Limpa Nome: Ótica Obelisco, a loja de roupas Gisele Jeans e a Servir, empresas de cartões de crédito do Grupo Mil, também estarão negociando dívidas da população de 26 a 30 de agosto, entre 9h e 16h, na Casa dos Conselhos – prédio anexo à Prefeitura, localizado número 260 da Avenida Koeler. Já são 23 empresas confirmadas dos mais diversos setores, que estarão oferecendo descontos de até 90% nos acordos. O feirão é organizado pela Prefeitura, por meio do Procon.

A Ótica Obelisco e a Gisele Jeans entram no feirão com o objetivo de negociar dívidas de crediários atrasados dos clientes. As empresas oferecerão descontos e parcelamentos para garantirem a quitação dos débitos. Já a empresa Servir, entra com objetivo de receber débitos relativos aos cartões de crédito emitidos pelo Grupo Mil. Em comum, todas as empresas que participarem do programa estão comprometidas a oferecer opções de negociações diferenciadas para fazer com o que devedor saia do feirão com o nome limpo.

E os números compravam o sucesso da edição realizada entra janeiro e fevereiro: foram quase 900 pessoas que negociaram um montante superior a R$ 2,5 milhões. Em média, o abatimento de 84,93%, mas, houve registros superior a 99%. Na prática, somados todos os participantes do evento, o valor acordado junto às empresas foi de R$ 390.057,60. A repercussão dos acordos chegou aos municípios vizinhos e foi possível selar negociações também com pessoas de Areal, Paraíba do Sul, Três Rios, Teresópolis, Magé e Levy Gasparian.

A ação também contará com a participação da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) para consultar se estão com o nome negativado junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e por qual empresa. Essa inclusão atende a uma demanda percebida na primeira edição, onde muitas pessoas sabiam que estavam com o nome negativado, mas, desconheciam qual empresa havia colocado o nome no cadastro. Além disso, a OAB estará homologando os acordos junto com os fiscais do Procon. A UCP e a Estácio de Sá marcarão presença com os estagiários auxiliando a população.

Confira as empresas confirmadas:

Também participarão do Feirão os bancos Santander, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e, pela primeira vez, Banco do Brasil; as empresas de telefonia, internet e TV à cabo, Oi, Claro, Tim, Vivo, Sky, Net e Tech Cable; as concessionárias Enel e Águas do Imperador; as varejistas Casas Bahia e Ponto Frio; as sapatarias Bico da Bota, Stella Maris e Real Modas e a loja de roupas infantis e brinquedos Pirulito.

Sexta, 16 Agosto 2019 - 20:03

Posse recebe evento voltado a motociclistas

A CPTrans está intensificando as ações de prevenções para o trânsito e levou para o distrito da Posse, na quinta-feira (15.08), mais uma edição do Parada Positiva – iniciativa voltada para os motociclistas. Vítimas de 70% dos acidentes socorridos pelo Corpo de Bombeiros no primeiro semestre deste ano (de 449 sinistros, 316 são de motociclistas), a intenção é promover a segurança dos motociclistas ao mesmo tempo em que incentiva o cuidado com o trânsito. A iniciativa acontece em parceria com a Motomundi.

No quinto distrito, 60 pessoas foram atendidas na ação, que começou por volta das 11h e foi até às 14h30. Na Parada Positiva, os motociclistas foram abordados e cadastrados enquanto um profissional fazia um checklist do veículo, verificando as condições dos pneus, faróis e freios. Em seguida, seguiram para ação educativa, que tem foco e demonstrar aos motociclistas os pontos cegos dos motoristas no carro e que podem causar acidentes. Os motociclistas também ganharam uma troca de óleo proporcionada pela Motomundi, um Código de Trânsito e material educativo.

A situação com acidentes envolvendo motociclistas é grave e, por isso, foi intensificado as ações de prevenção. O município já chegou a arcar com uma única vítima de acidente de moto R$ 350 mil em janeiro deste ano. Então o impacto causado na sociedade se dá no Estado, no DPVAT, no INSS e, principalmente, na família daquela pessoa. É preciso se conscientizar cada dia mais e é por isso que estamos buscando formas de esclarecer o risco de um acidente de moto pode causar.

Os dados do hospital referência em trauma no município, o Santa Teresa, reforçam essa preocupação: de janeiro a julho deste ano 326 pessoas vítimas de acidentes de motocicleta deram entrada na unidade de saúde. Em contrapartida, o número de pessoas que se acidentaram com o carro é de 227. Os números, embora não representem a totalidade do que ocorre no município, demonstram como um acidente de trânsito que envolve pessoas em motocicletas são mais danosos.

Educação para o trânsito deve começar infância

As ações de educação para o trânsito atingiram a 460 crianças e adolescentes da Escola Municipalizada Moysés Furtado Bravo nesta semana. Os estudantes com idade entre 4 e 14 anos da unidade de educação foram impactados, na quarta-feira (14), com equipe da Lei Seca, que levou aos estudantes depoimentos sobre acidentes reais com pessoas que foram vítimas da mistura de álcool e direção e, nesta sexta (16), a equipe da CPTrans voltou à escola.

A chefe do setor de Educação para o Trânsito, Márcia Pereira, explica que levar esse tipo de atividade para as crianças faz com que elas cresçam mais conscientes de seu papel no trânsito enquanto pedestres e, no futuro, como motoristas. “Eles são agentes multiplicadores que cobram de suas famílias a correta postura no trânsito. No dia a dia, ficam atentos quanto à travessia de pedestres, o cuidado ao levar o animal de estimação para passear, enfim, tem consciência sobre como se portar no trânsito”, explica.

Orientação em empresas

A equipe de Educação para o trânsito também está levando informações às empresas. Na última quarta-feira, foi a vez da empresa Mattheis Borg contar participar das ações educativas da companhia durante a Semana Interna de Prevenção e Acidentes do Trabalho.

Mais de 2 mil cartilhas que orientam sobre os problemas causados pelas queimadas e soltura de balões foram entregues na etapa de Araras da Blitz Verde, realizada nesta sexta-feira (16.08). A iniciativa da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, em parceria com a Polícia Militar e a Rebio-Araras, busca conscientizar pedestres e motoristas para reduzir o número de incêndios florestais na cidade. O trabalho, que foi realizado também no ano passado, faz parte do Plano Inverno municipal, que busca enfrentar as ameaças da estação com ações de prevenção.

Nos últimos dois anos, o número de queimadas na cidade reduziu 28,4%, segundo dados do Corpo de Bombeiros. De janeiro até agora foram registrados mais de 260 casos de incêndios florestais em Petrópolis. Existe uma preocupação dos órgãos envolvidos nesta questão já que o período de estiagem segue até setembro.

Fazer queimadas, mesmo em áreas rurais, é crime previsto em lei e pode levar a detenção de seis meses a um ano, além da aplicação de multa. Outro ponto importante é a orientação sobre os problemas causados pela soltura de balões, que causam danos ao meio ambiente e à saúde. A presença da PM, neste aspecto, se torna fundamental.

Segundo a chefe da Rebio-Araras, Isabela Bernardes, as ações de prevenção em parceria com a Defesa Civil podem reduzir o número de ocorrências. “O trabalho em conjunto pode trazer resultados muito positivos para a nossa cidade. Desde o ano passado trabalhamos dessa forma, com prevenção, envolvendo os moradores das áreas mais distantes”, explicou.

Os moradores de Araras aprovaram a campanha de prevenção aos incêndios florestais. “Infelizmente as queimadas são muito comuns por aqui. Meus filhos sofrem com a fumaça. Precisamos reforçar os prejuízos causados pelas queimadas”, contou Wallace Maciel, que é Bombeiro Civil.

“As crianças e os idosos são quem mais sofrem com as queimadas, além da natureza. Acho a ação importante não apenas para Araras, mas para toda a cidade”, completa Miguel Barroso, empresário, contando ainda que já denunciou casos de soltura de balões na região.

A Blitz Verde ainda será realizada em mais três locais com grandes índices de incêndios florestais. A meta é entregar até o final da ação cerca de 10 mil cartilhas. Os casos de queimadas podem ser denunciados para a PM ou para a Secretaria de Meio Ambiente através do 2233-8180.

O município participou da audiência pública que tratou do tema da habitação na noite da última quinta-feira (15.08) na Câmara de Vereadores. No encontro, os representantes da Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária e da Secretaria de Assistência Social explicaram os trabalhos que o município vem fazendo para finalizar a construção do conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti e trataram ainda das unidades implantadas na Posse.

As obras no conjunto habitacional do Vicenzo Rivetti estão em reta final, após ter sido retomada quando tinha menos de 5% de execução no início de 2017. São 776 unidades construídas dentro da faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida (famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil). As unidades serão destinadas a pessoas que ficaram desabrigadas em função de chuvas. Por isso, estão sendo providenciadas pela prefeitura obras de pavimentação, saneamento, creche e trabalho técnico-social (para que os moradores façam a gestão e conservação dos condomínios e passem por capacitação profissional).

“Essa é uma preocupação que a gente tem no dia a dia na gestão do município para poder acelerar as obras o máximo possível, cobrar das empresas o que elas têm que fazer, do governo federal a liberação de verbas. Sabemos que ainda temos muitos desafios, mas são coisas que vão acontecer dentro da construção da nova realidade habitacional que vai acontecer por ali”, disse o diretor de Proteção Social Básica da Secretaria de Assistência Social, Rodrigo Lopes.

Quanto ao conjunto habitacional da Posse, o diretor de Habitação e Regularização Fundiária, Antônio Neves, informou a empresa responsável desistiu da obra e, por isso, a Secretaria de Obras vai rescindir o contrato e abrir uma nova licitação para contratação de uma nova empresa para finalizar e poder entregar as últimas 24 unidades.

“Esses dois blocos possuem 75% de obras já concluídas. E o restante, que são questão de acabamentos dos apartamentos, a empresa responsável informou que não tem interesse em concluir a obra. Nós viemos cobrando bastante a empresa para a retomada da obra e conclusão, mas eles desistiram do contrato. Estamos rescindindo o contrato e vamos fazer uma nova licitação para uma nova empresa concluir os apartamentos, e tudo isso passa pela Caixa também”, informou.

Cerca de 100 pessoas acompanharam a audiência pública, entre eles, integrantes do Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis, Comissão das Vítimas das Tragédias da Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro e do Movimento Popular Permanente por Moradia. Também estive presente o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH).

A etapa em Nogueira da campanha de recolhimento de lixo eletrônico arrecadou cerca de 100 kg de material nesta sexta-feira (16.08). A iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente tem o objetivo de descartar corretamente este tipo de produto que pode contaminar a natureza. A população entregou os mais variados produtos, como monitores e peças de computadores, televisores, impressoras e ventiladores, que serão destinados para uma empresa de reciclagem. O lixo será encaminhado para a empresa Recicla Ambiental, que é parceira da ação.

A campanha será realizada novamente na Praça de Nogueira no dia 30 de agosto. Em setembro, a ação acontece na Rua Paulo Barbosa, no Centro, nos dias 13 e 14. Iniciado no ano passado, o trabalho é realizado mensalmente na Praça Dom Pedro, no Centro, recolhendo mais de quatro toneladas de material até o momento.

O lixo eletrônico contém substâncias como chumbo, mercúrio, cádmio e berílio que, ao serem descartados incorretamente, poluem a natureza. De acordo com a ONU, em 2017 foram gerados 44,7 milhões de toneladas desse tipo de resíduo em todo o mundo, sendo que até 2021 esse número deve crescer 17%. Com mais essa iniciativa com foco na preservação do meio ambiente, a prefeitura está cumprindo a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A campanha é mais uma ação do projeto Inteligência Ambiental (IA) do setor de educação ambiental, criado pela Secretaria de Meio Ambiente em 2017 com o objetivo de conscientizar a população da importância da preservação ambiental. Em dois anos, o IA envolveu mais de 3 mil alunos em atividades de educação ambiental variadas, como apresentação de eco filmes informativos, caminhadas ecológicas e palestras. 

O projeto debate questões que atingem diretamente o dia a dia de cada pessoa. É preciso pensar no descarte do lixo, economia de água, desmatamento, preservação do patrimônio, entre outras coisas.

Está marcado para sábado (17.08), das 15 às 18h, o Vestibular Social, da Universidade Estácio de Sá – Rua Bingen, 50 - Bingen. Para a inscrição, os servidores interessados deverão levar um agasalho ou cobertor, no dia e local da prova, que serão doados para Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO). Os servidores aprovados terão 50% de desconto durante todos os cursos e modalidades ofertadas na unidade Petrópolis; mensalidades de julho, agosto e setembro 2019 por R$ 49 cada, com diluição solidária e para o primeiro colocado (não inclui a matrícula), 100% de desconto no primeiro semestre (2019.02).

Pagina 1 de 1294

Notícias por data

« Agosto 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

iptu

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

cmv-logo

Relatorio CMVP